segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

COOL GRAY

Uma leve dormência nas pontas dos dedos, que formigam ao encostar na xícara quente de chá. Um tom de rosa pálido, translucido e suave. Aquele aconchego do gato afofando antes de deitar no seu colo, roncando feliz. Uma luz ao fundo, tingindo a parede de ocre. A voz suave que canta um murmúrio. O cheiro de bolo com canela no ar. O vapor que embaça o vidro e distorce a paisagem que se arrasta lá fora. Aqui fora vou derretendo mas aqui dentro formam-se os desenhos dos flocos de neve. Me levo pra onde faz frio. O frio suficiente pra aquecer meus pensamentos.

Nenhum comentário: